Notícias e Artigos

Fique por dentro das notícias e novidades da escola

Feira do Pequeno Cientista

“Há um período sensível muito prolongado, quase até aos cinco anos, que torna a criança prodigiosamente capaz de se apropriar das imagens do ambiente, e por conseguinte, a transforma num observador que capta ativamente as imagens por intermédio dos sentidos.” (MONTESSORI)

            Nos dias 9 a 13 de agosto, realizamos na escola a “Feira do Pequeno Cientista”

            O tema trabalhado junto às crianças foi: “Está na natureza? Vamos conhecer!”

A descoberta através do ambiente natural está na essência da criança, que é atraída naturalmente para o mundo lhe é oportunizado, observando, refletindo, construindo hipóteses e experimentando possibilidades.

O contato com a natureza, descobrindo possibilidades, entendendo processos, testando hipóteses, brincando com os elementos que nos oferece, pode contribuir para a construção de regras, de valores, e cuidados que poderão acompanhá-la durante todo seu desenvolvimento.

As propostas trabalhadas no grupo, partiram de perguntas feitas pela professora, despertando a curiosidade e o desejo de descobrir como acontecem os processos na natureza.

Perguntas feitas:

  • Professora Patrícia- QUE CORES EXISTEM NA NATUREZA?
  • Professora Mirta- ONDE SERÁ QUE TEM FOLHAS?
  • Professora Lidiane- VAMOS DESCOBRIR O QUE TEM DENTRO DESSA CAIXA?
  • Professora Fernanda- O QUE PODEMOS FAZER COM AS FOLHAS?
  • Professora Jaqueline- O QUE PODEMOS FAZER COM AS FRUTAS?
  • Professora Maria- O QUE PODEMOS FAZER COM A TERRA?
  • Professora Caroline- SERÁ QUE TODAS AS FRUTAS TÊM SEMENTES?
  • Professora Graciele- O QUE PODEMOS FAZER COM A ARGILA?
  • Professora Andréia- POR QUE É IMPORTANTE CUIDARMOS DAS PLANTAS?
  • Professora Norma- O QUE PODEMOS FAZER COM AS CASCAS?
  • Professora Rafaella- O QUE PODEMOS CRIAR COM FOLHAS?
  • Professora Márcia- O QUE PODEMOS FAZER COM A BETERRABA?
  • Professora Marlise- COMO SÃO AS FRUTAS? VAMOS CONHECER?
  • Professora Ângela- QUAIS SÃO OS TIPOS, FORMATOS E TAMANHOS DE SEMENTES E PARA QUE SERVEM?

 

Atividades propostas:

  • Pintura com elementos da natureza;
  • Exploração de folhas de diferentes formatos, texturas e cores;
  • Plantio de diferentes sementes;
  • Descobertas de cheiros e gostos;
  • Experiências variadas;
  • Observação dos materiais utilizados.

A natureza em si potencializa o desenvolvimento nos âmbitos biopsicossocial e espiritual. Ela é o espaço de pertencimento da criança, de suas raízes com a Terra.  A partir da relação com o mundo natural,  um mundo que exala aromas, floresce, frutifica, emite sons nativos, e têm sabores diversos, por meio do próprio corpo e sentidos, a criança apreende os princípios que regem a vida na Terra – seus ciclos de nascimento e morte,  fluxos, processos dinâmicos, e aprende brincando, na linguagem da infância.

 

Equipe Aqui eu Fico

Nos primeiros anos de vida, mais de um milhão de novas conexões entre os  neurônios se foram a cada segundo, você sabia?

É verdade absoluta que os cérebros são “forjados” ao longo do desenvolvimento. Contudo a base, alicerces da estrutura cerebral, são construídos bem no inicio da vida.

As conexões neurais que compõem a estrutura do cérebro em desenvolvimento são formadas através de um processo continuo que inicia antes do nascimento e vai até a morte. Este processo acontece através dos 5 órgãos dos sentidos que estimulam as conexões sinápticas.

A plasticidade neuronal é a comunicação, fofoca, entre os neurônios. Cada cérebro tem a sua estrutura, cada cérebro é único, como uma digital e está em constante mutação, que compõe todo o aprendizado e comportamento do individuo.

Até os 3 primeiros anos  após o nascimento, as pesquisas mais recentes afirmam que a cada SEGUNDO, mais de 1 MILHÃO de novas sinapses acontecem, sinapse é a “fofoca” entre um neurônio e outro. Após em certo período, as conexões são fortalecidas ou eliminadas, são as podas sinápticas, tornando assim, as conexões restantes mais fortes e persistentes. Uma regra do cérebro é que aquilo que não é significativo e importante para o individuo não permanecerá!

Dentro deste entendimento de sinapses, plasticidade neuronal e podas sinápticas que a relevância das janelas de aprendizagem se consolida, a educação infantil é o período mais rico em todo o desenvolvimento do individuo para sua aprendizagem.

Neuro Psicopedagoga Silvia Blank

 

Referência Bibliográfica:

Center on the Developing  Child at Harvard University  From Best Practice to Breakthrough to Building a More Promising Future for Young Children and Families.

Por que o brincar é importante para o desenvolvimento infantil?

O momento da brincadeira é uma oportunidade de desenvolvimento para a criança. Através do brincar ela aprende, experimenta o mundo, possibilidades, relações sociais, elabora sua autonomia de ação e organiza suas emoções.

O principal objetivo da brincadeira é explorar. Para uma criança pequena, tudo é experimento. A brincadeira é um espaço para explorar sentimentos e valores, assim como para desenvolver suas habilidades.

A brincadeira surge de objetos estruturados e não estruturados, disponibilizados para as crianças. A partir da brincadeira, observamos que a exploração e a sequência lúdica dependem, única e exclusivamente, de cada criança ou, por vezes, de um grupo de crianças dispostas a compartilhar o brincar.

Através do brincar e a partir do sentimento que aflora em cada brincadeira, a criança faz a leitura do mundo e aprende a lidar com ele, recria, repensa, imita, desenvolvendo, além de aspectos físicos e motores, aspectos cognitivos, bem como valores sociais, morais, tornando-se cooperativo, sociável e capaz de escolher seu papel na sociedade.

Quando a criança tem a oportunidade de escolha, que inicia com o brincar, ela exercita a sua liberdade e assim se torna uma criança mais observadora e crítica, não aceitando com facilidade que seja comandada.

Para enfrentar o mundo, temos que ser sociáveis, manifestar desejos e expressar opiniões, assim, a criança precisa saber o seu papel, seja na sua casa, na escola, na rua, no seu bairro, por fim, na sociedade para, a partir desse conhecimento, apropriar-se de suas escolhas.

No brincar a criança explora, coleta, seleciona, coleciona e constrói conforme a sua vontade e/ou através de observações de experiências anteriores. Assim, ela aprende a elaborar suas reflexões, estratégias, independência e criatividade, permitindo que aumente a sua experiência e do grupo na qual está inserida.

As brincadeiras contribuem no desenvolvimento infantil de forma decisiva, construindo um adulto que acredita em seu potencial transformador, cultivando dentro de si uma forte vontade de viver em um mundo melhor.

A criança, a tecnologia e o desenvolvimento!

 Ao olhar uma criança manuseando um aparelho, nos abismamos de sua presteza e rapidez nas suas ações. A era da tecnologia nos permite ver de forma mais intensa essa atitude, porém a grande pergunta que os pais devem fazer isso ajuda no desenvolvimento das crianças?

A geração de crianças da nossa atualidade já nasce com dispositivos que possibilitam o entendimento das novas tecnologias. Ter na sua frente um computador, um tablet ou similar, nos mostra o quanto é rápido o raciocínio dessas crianças, o que possibilita manusear vários botões ao mesmo tempo e entender uma linguagem própria mesmo sem ter garantido a alfabetização.

As letras são parte do seu universo de criança, porém as teclas são parte da genética. A agilidade de pensamento, o raciocínio rápido e preciso, são pontos que fazem essa geração se desenvolver mais rápido e com maiores configurações de mundo. Pode-se dizer que o uso de tecnologias favorece sinapses importantes para o mundo atual.

O que não podemos esquecer que só isso não é desenvolvimento. É preciso correr, pular, experimentar melecas, brincar com água e areia, explorar texturas diferentes e mais importante é fundamental a interação com outras crianças.  

A tecnologia é fantástica e nos aproxima dos diferentes mundos, porém viver só com elas não possibilita às nossas crianças se desenvolverem por inteiro ou por completo.

 

Eu me sinto assim! Atitudes para aprender e crescer!

Justificativa: a educação infantil é uma etapa muito importante para o desenvolvimento da criança. É o momento adequado para se propor uma convivência harmoniosa e ética junto ao grupo, à medida que seu interesse pelos amigos está em ascendência. O caráter e os comportamentos podem ser desde cedo edificados através do trabalho sobre valores, sentimentos e convivência harmoniosa. A nova BNCC salienta que o reconhecimento das características ligadas ao comportamento e à administração das próprias emoções pode impactar positivamente no aprendizado dos alunos e tem forte influência na vida. A abordagem das habilidades focadas na educação das emoções é fundamental para promover o pensamento autônomo e suas potencialidades, o que, consequentemente, pode reduzir a indisciplina na idade escolar e melhorar os índices de aprendizagem.

Objetivos: através deste projeto pretende-se que o aluno desenvolva o conhecimento das emoções básicas (Raiva, Alegria, Tristeza, Medo, Surpresa e o Nojo) e consiga identificar quando as sente, assim como, qual o modo adequado de expressá-las sempre pautado em valores como o respeito, a generosidade, a honestidade e a amizade, melhorando a convivência grupal através de atitudes empáticas. 

Descrição: o serviço de psicologia vai trabalhar com crianças na faixa etária de três a seis anos de idade. O trabalho se dará através jogos, leitura de histórias, brincadeiras, desenhos e rodas de conversa que são formas de se divertir e incorporar importantes aprendizados sobre as emoções e as relações humanas. Brincar junto, tocar, estar perto, olhar nos olhos, poder pedir ajuda nas atividades faz uma grande diferença no desenvolvimento socioemocional das crianças e tem um impacto decisivo na sua formação.

Periodicidade: de abril a novembro de 2021 através de oito encontros de 30 a 40 minutos de duração.

A importância do papel do professor na Educação Infantil

O professor tem um papel fundamental no processo de desenvolvimento das crianças. Ele deve criar contextos de mediação entre as crianças, seu entorno social e os diversos elementos da cultura.

O professor cria condições para que as aprendizagens ocorram tanto nas brincadeiras livres, quanto nas atividades orientadas, considerando o desenvolvimento, a ação mental infantil e interações de maior qualidade envolvendo adultos e crianças e as interações que as próprias crianças estabelecem enquanto brincar, produzem e aprendem entre si. É quem planeja as melhores atividades, aproveitando as diversas situações do cotidiano e potencializa as interações. O professor apresenta às crianças o mundo em sua totalidade, a natureza, a sociedade, as artes, os sons, os jogos, as brincadeiras, enfim, os conhecimentos adquiridos ao longo da história, possibilitando a construção da sua identidade, individualidade e autonomia, dentro de um grupo social.

É de suma importância que o professor observe as reações das crianças, conheça as suas preferências, incentive as mesmas a expor sua forma de perceber o mundo e as diferentes situações.

Eles são peça fundamental do desenvolvimento da educação das crianças!  

Melisa Leal Pacheco

FORMAS DE CONHECER O MUNDO

          O meio em que vivemos não é apenas para ser visto, mas para ser tocado, cheirado, ouvido e degustado. A escola é um dos ambientes em que  as crianças podem ter essas percepções de como explorar o mundo por meio do corpo e dos cinco sentidos e entender o que os diversos objetos que fazem parte desse mundo têm de diferente ou de comum. Tais percepções devem ser desenvolvidas em todas as etapas da vida.

          É útil o exercício que tem a finalidade de obter uma maior destreza e agilidade das mãos. Para exercitar o sentido do tato nada melhor que a prática de modelagem, do rasgar, abotoar, amarrar, puxar, molhar e amassar. Entre dois e cinco anos é um período de desenvolvimento muito importante da vida humana, a criança não só vê e escuta, como também tem a necessidade de tocar. Para ela não basta que lhe diga onde se encontra um determinado objeto, ela necessita vê-lo, apalpá-lo para tomar conhecimento de sua existência.

Etapa 2 Nível 3B profª Jaqueline- Atividade com massinha de modelar.

Formação de professores / 2021

 

VOCÊ SABE O QUE É PEDAGOGIA DA ESCUTA?

1-Teve origem durante o século XX, após a segunda Guerra Mundial.
2-Pedagogo Loris Malaguzzi introduziu práticas educativas nas escolas de Reggio Emília, no norte da Itália.
3- As crianças possuem uma multiplicidade de maneiras de expressar suas experiências.
4-Cabe ao professor(a) estar atento ao que a criança mostra e a forma como se expressa, se comunica com seus pares e com os adultos que convive.
5- Algumas características da Pedagogia da escuta:
Apoia a diversidade ao valorizar as crianças;
Estimula várias formas de comunicação dança, desenho, texto;
Promove a autonomia da criança ;
A criança é atuante no processo ensino-aprendizagem;
6- O professor(a) Precisa ser sensível, empático, disposto a escutar as questões importantes para as crianças.
7- a escola vista como espaço de transformação.
8- A criança transfere aquilo  que aprende para fora do espaço escolar atuando diferente na sociedade.
 
 

Reabertura escolar com segurança


Recentemente a Escola Aqui eu Fico fez o curso on line com a Coordenadora do Programa Escola Segura, Leticia Spina, reforçando alguns pontos importantes para a reabertura escolar:
• Transparência das famílias e vice- versa.
• Medição de temperatura.
• Higienização das mãos e brinquedos.
• Observar o estado geral de saúde das crianças.
• Uso de máscara obrigatório para os funcionários.

Coordenadora Pedagógica
Melisa Leal Pacheco

Objetivo do Bilinguísmo na Infância

O principal objetivo de ensinar inglês nos estágios iniciais da vida é aproximar a criança do bilinguismo. Iniciar essa língua alvo desde cedo possibilita uma melhor perfomace nela, pois o bebê vai aprender essa língua enquanto aprende a língua materna.
Uma preocupação recorrente é de que o inglês atrapalhe as crianças na aprendizagem do português, mas isso não acontece, a criança pode misturar e trocar palavras, mas isso não é errado e tampouco prejudica a outra língua, trocas fazem parte do processo de aprendizagem.
Começar a aprender uma segunda língua na infância traz resultados muito positivos como desenvolvimento melhor da memória, de capacidades cognitivas, de raciocínio e solução de problemas, além de contribuir para o desenvolvimento de habilidades como comunicação e compreensão do mundo.

Bruna Amaral Bernardo
Coordenadora do Projeto Bilíngue

O “Cesto dos Tesouros”

O “Cesto dos Tesouros” é uma brincadeira sensorial que estimula o desenvolvimento do bebê. Estimula a concentração, proporciona ao bebê novas experiências, contribui para o desenvolvimento de habilidades motoras amplas e finas, ( já que o bebê senta, fica em pé , se alonga para alcançar um objeto, pegam o objeto), incentiva o desenvolvimento intelectual, uma vez que o bebê começa a armazenar informações sobre novos objetos.

A seleção de objetos interessantes para o tato, e as diferentes texturas e temperaturas são importantes, é através dos objetos de madeira, metal, plástico, materiais ásperos/ lisos…, que vão se formando novos conceitos e criando novas hipóteses. Na medida em que as informações vão sendo assimiladas e confrontadas com a memória já existente, vai surgindo uma gama de dados novos e ou aprimorados, com mais detalhes e mais sentido diante das informações que já existiam.

Esta experiência com o “Cesto dos Tesouros” é uma das propostas desenvolvidas no Berçário. As crianças aproveitam com alegria e entusiasmo os momentos de explorações com o cesto, manipulando objetos colocando uns dentro de outros cheirando…, esgotando as possibilidades de criar brincadeiras enriquecendo seu repertório sensorial.

Você conhece a importância da roda de conversa?

 

A roda de conversa é um momento muito apreciados pelas crianças. É um momento rico e intenso.

Na roda de conversa abordamos assuntos como: acontecimentos vivenciados pelas crianças, hora do conto, novidades que as crianças trazem, experiências, músicas e muitas brincadeiras.

Na roda, as crianças também se olham, se relacionam, expressam seus sentimentos, desenvolvem o senso crítico, esperam a vez de falar, escutam os colegas e as profes.

Um pouco de história…

Começamos o ano de 2020, em Janeiro, com a Escola Aqui Eu Fico pulsando vida. Com o Projeto Verão foi possível encontrarmos em cada espaço e por diversos momentos a espontaneidade do brincar das crianças, conforme a estação sempre nos permitiu. Experiências refrescantes foram a base para as nossas aprendizagens, ou seja, aliviar o calor com borrifadores, dar banho nos brinquedos, regar com cuidado a horta, culinárias geladinhas e correr pátio afora até mais tarde foram exemplos frequentes do nosso cotidiano escolar.

 

Em Fevereiro, além da continuidade do Projeto, aconteceram encontros com novos amigos chegados na Escola, reencontros com colegas que retornavam de férias, assim como descobertas dos professores e salas que acompanhariam e acolheriam a trajetória deste ano. Tudo isso, celebrado com serpentinas, confetes, músicas, bailes, lanches debaixo da laranjeira e os demais ares divertidos do nosso período de Carnaval.

No dia dois de Março, o ano escolar oficialmente começava. Com ele, iniciavam-se as reuniões entre as famílias e professores, um novo projeto surgia (Projeto Adaptação & Identidade) e, inevitavelmente, a mescla de sentimentos, como euforia, expectativa, ansiedade, insegurança, disposição, alegria compuseram o nosso ser. Entretanto, aos poucos, aprendemos a conviver com outras relações sociais, organizar-se em distintos tempos e espaços, sentir cheiros diferentes, enxergar a vida com horizontes ampliados. Fomos nos conhecendo, percebendo os demais e buscando conexões com o mundo de modo mais harmonioso e confiante. A cada dia, compreendemos a importância dos movimentos de vida das crianças, a riqueza de apreciar o intenso crescimento delas a cada instante. E como isso, posteriormente, acabou se tornando ainda mais significativo para aplicarmos em nossas vidas.

No entanto, inesperadamente, fomos apresentados a uma pandemia. Nos encaminhamos obrigatoriamente para um distanciamento social e, de repente, tivemos que parar e repensar outras possibilidades de ser, fazer, conhecer e conviver. Reorganizar, ressignificar e flexibilizar as propostas planejadas para o seguimento do ano letivo tornaram-se questões indispensáveis. A Educação Escolar de maneira remota (principalmente a Educação Infantil) apresentou-se como um dos significativos desafios a serem encarados.

Mesmo com as dificuldades em andarmos por trajetos incertos, contamos com a parceria da comunidade escolar, através de diferentes estratégias, para garantirmos a maneira mais conveniente e competente das crianças seguirem seus ricos processos de aprendizagens. Sendo assim, ainda que distantes fisicamente, conseguimos manter as relações afetivas, provocar construções de conhecimentos e continuar fazendo histórias educacionais por essa arte de viver. Afinal, conforme afirmou Eduardo Galeano, “Os cientistas dizem que somos feitos de átomos, mas um passarinho me contou que somos feitos de histórias”.

 

Por isso, considerando esse relevante período vivenciado em 2020 é que surgiu o Projeto “Reinventando Um Novo Tempo”. Com ele, buscou-se aproximar, experimentar e entrelaçar com as crianças, professores e familiares propostas educativas em diferentes recursos e linguagens de comunicação, a fim de colaborar para a compreensão daquilo que vivemos ao longo deste ano, sem abdicar do compromisso de compartilhar informações, construir conhecimentos e religar saberes. Termos como “Chamada de Zoom”, “Atividade pelo ‘Watts’”, “e-mail”, “Vídeo-aula” fizeram parte de nossos dias. Os lares também se legitimaram como significativos espaços educativos e o tempo, como o próprio nome do Projeto diz, foi preciso aprender a reinventá-lo.

Inevitavelmente, a saudade das crianças e do movimento da Escola a cada dia aumentava. Ainda que num contexto de solicitação de distanciamento foi se pensando possibilidades de aproximação segura para amenizar o aperto no coração. Com isso, não foram poucas as situações de buzinadas em frente ao portão, chamamentos e acenos pelas janelas dos carros.

Em Maio, iniciamos a entrega de kits na forma “drive-thru”. Com horários estabelecidos, as famílias recebiam um conjunto de materiais e propostas organizado de forma cuidadosa e criteriosa pelos professores.

Kits entregues:

 

kits

Data de entrega

Tema

1

Maio

Materiais da minha escola

2

Junho

Festa Junina

3

Junho

Traços, sons, cores e formas

4

Julho

Sonhos Gelados

5

Agosto

“152 razões para dar colo”

6

Agosto

O mundo encantado do folclore

7

Setembro

Projeto específico de cada

turma

8

Setembro

Festa Farroupilha

9

Outubro

Toda criança quer…

10

Outubro

Boo! It’s Halloween!

 

Enquanto as propostas inseridas em kits eram realizadas, as análises sobre protocolos e tomada de medidas de segurança sanitária para uma possível reabertura da Escola e um retorno gradual das crianças também acontecia. Em 8 de outubro, atendendo a todos os critérios protocolares de saúde estipulados pela Prefeitura de Porto Alegre/RS, a Escola Aqui Eu Fico reabriu as suas portas. E,

 

com ela, aqueles sentimentos de um período de adaptação e readaptação voltaram a fazer parte do nosso cotidiano. Todavia, seguimos juntos, enquanto uma comunidade escolar, buscando, aprendendo e se adequando nos fazeres pedagógicos com um comprometimento e cuidado exemplares.

Claro, sem esquecer de que um verdadeiro sorriso é capaz de ultrapassar as máscaras, transbordando e transparecendo também pelos olhos seja numa brincadeira de sala seja no pátio. As escutas atentas num momento de Roda, não sendo feitas apenas pelos ouvidos, mas abertas para a compreensão daquilo que as crianças passaram, perceberam e sentem a respeito desse período tão atípico. A valorização dos momentos de convivência no coletivo, ainda que com restrições de toques, mas com o entendimento da importância e da potência que essa troca de energias brincantes possui.

Infelizmente, a pandemia ainda não acabou. Porém, sabemos o quanto de aprendizagens ela já nos trouxe e o quanto de desafios seguirá nos colocando. Inegavelmente, uma significativa trajetória educacional foi realizada junto com a comunidade escolar, mas ainda é preciso caminhar. E, como diz o ditado africano, “se quiseres andar ligeiro nessa vida, ande só. Mas se quiseres chegar bem longe, acompanhado é bem melhor”.

 

 

(Texto escrito por Dinorá Simoneto, Melisa Pacheco e professor Fernando Campiol)

Certificado do Programa Escola Segura

Em momentos de reabertura, firmamos o compromisso que possuímos com nossas famílias, alunos e colaboradores sobre a responsabilidade do cumprimento dos protocolos de saúde destinados a Educação Infantil. ​

PROJETO HORTA NA ESCOLA

RESPONSÁVEL: PROFª CLAIR GONÇALVES PEREIRA

Objetivo Geral : O presente projeto, tem como foco uma alimentação saudável, conhecer e provar novos sabores e texturas iniciamos um novo  “espaço verde”  no entorno da escola.

Objetivos específicos :  A horta na escola é o espaço onde as crianças irão vivenciar os benéficos do alimento, por com o fato de cultivar o alimento os estimula comer, especialmente quando conhecem a origem dos vegetais.

 

Proporcionar um maior contato com a natureza, construí para a preservação do meio ambiente e desenvolve a capacidade do trabalho em equipe e cooperação. 

Atividades:

  • Plantar hortaliças e plantas medicinais;
  • Reconhecer os tipos de hortaliças ;
  • Identificar hortaliças que nascem embaixo e acima do solo;
  • Compartilhar com outras crianças os cuidados com as plantas nos espaços e fora da escola;
  • Observar, relatar, e descrever incidentes do cotidiano e fenômenos naturais ( luz solar, vento, chuva) e suas contribuições para o crescimento dos vegetais;
  • Regar e acompanhar o crescimento e desenvolvimento das plantas;
  • Utilizar conceitos básicos de tempo (agora, antes, durante ,ontem ,hoje, amanhã, lento, rápido ,depressa e devagar);